PARIS, ALÉM DO CROISSANT

Mais do que um destino charmoso e histórico, Paris é uma cidade super viva e cosmopolita. Imagine, são mais de 100 milhões de turistas a cada ano em um centro do tamanho de Petrópolis. Mesmo apesar dos recentes atentados e do clima de tensão que se propagou pela cidade, Paris continua bastante dinâmica e linda como sempre. Ela ainda preserva seu clima sofisticado e sua identidade cultural, sendo ainda uma vitrine de moda e de lifestyle para o resto do mundo.

Cheguei em Paris a trabalho, mas entre um dia e outro, aproveitando ainda o verão que trazia sol até às 9 da noite, pude passear e aproveitar as dicas locais que os amigos franceses me deram. Aproveitei e montei uma lista no “Your Places” do Google Maps com as dicas mais imperdíveis, para garantir que eu não ficaria como uma turista perdida, fazendo idas e voltas no Seine. E voilá!

FOTO 1

Basicamente, além de trabalhar, minhas duas semanas em Paris consistiram em: Comer bem, fazer compras e sair a noite para bares ou festinhas ao ar livre. Afinal, era verão!

Reuni as principais dicas nesse post para orientar quem vai passar em breve por lá e para inspirar aqueles tem vontade de conhecer a cidade fugindo dos picos turísticos demais.

Comer bem

A França é referência em comida gostosa e de bons ingredientes para o resto do mundo. Eu vivo com um francês e noto isso diariamente. Não é questão de quantidade, mas sim, de ter os ingredientes certos na mesa! Pelo o que eu percebo, a culinária francesa é detalhista. Eles valorizam qualidade e diversidade de ingredientes para se fazer um bom prato. E por isso, a cada esquina era uma paixão. Croissant, pain au chocolat e baguettes. Saudades. 

  1. Le Cafe – Chatelêt Les Halles

Foi nesse restaurante charmoso, na rua Tiquetonne que também é maravilhosa para compras, que comi meu prato preferido da viagem, um beouf tartare com fritas e salada. Para acompanhar, um vinho tinto Côte do Rhone, que descobri ser uma boa pedida para aqueles que gostam de um vinho mais encorpado. O restaurante é pequeno e aconchegante, meio museu do explorador, decorado com globos terrestres, barcos antigos, relógios e bússolas. Um clima descobridor dos sete mares na casa da avó!

Foto 2
Créditos: The Fork

FOTO 3

Foto 4
Créditos: TripAdvisor
  1. La Bossue – Montmartre

Montmarte é uma região ótima para caminhar sem destino. Essa região, imortalizada no filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, fica no alto de uma colina e oferece um super visual de Paris. São diversas ruas com lojas de roupas e acessórios, bistrôs e restaurantes. E foi andando por lá que descobri o gracioso e meio escondidinho café La Bossue. O destino perfeito para um café da manhã, brunch ou café com sobremesa de fim da tarde.

Foto 5Foto 6

Créditos: TripAdvisor
Créditos: TripAdvisor
  1. Cafe Marlette – Montmartre

@malettecake

Também em Montmartre, o Cafe Marlette é para aqueles que valorizam uma alimentação saudável sem abrir mão do fator delícia. Eles fazem as receitas com ingredientes frescos e também são uma marca de produtos bio. Lá você vai encontrar fondants au chocolat (equivalente ao nosso petit gâteau), muffins, cookies, saladas gourmet e uma variedade de sanduíches artesanais. O café também tem um público jovem e descolado, formando o famoso 2 em 1: Bom para comer e bom para ver as modas.

Créditos: Paris-is-beautiful.com
Créditos: Paris-is-beautiful.com
Foto 9
Créditos: SugarednSpiced.com

Compras 

Nesse quesito meus critérios eram: Roupas bonitas, a um bom preço e em relativa quantidade. A ideia era refazer parte do meu guarda-roupa, doar algumas peças antigas e abrir espaço para as peças novas. Para além das grandes grifes, Paris tem uma infinidade de brechós e marcas locais com um preço acessível e um estilo mais urban street wear. Em poucas horas de caminhada já dá para sacar o estilo das ruas. Tênis New Balance multi-cores ou o famoso Stan Smith com calças Levi’s e blusa básica. No geral, acho que as parisienses tem um toque sofisticado na forma de se vestir. Onde menos é mais, e o antigo conversa com o novo. Um estilo básico, mas que assim como sua comida, é pensado nos detalhes.

  1. Kiliwatch – Rue Tiquetone

@kiliwatch.paris

Fui três vezes nessa loja. Um mix de brechó com um acervo incrível e staff mega simpático e loja com peças novas de jovens estilistas. Só não digo que a Kiliwatch foi “o achado” da viagem, por que já cheguei lá com essa dica. Lá você pode encontrar desde os jeans Levi’s mais clássicos até extravagantes túnicas africanas. É cool, é lindo e é exatamente o programa perfeito para se perder durante uma tarde toda. E ah! O restaurante Le Cafe fica bem ao lado.

Foto 10
Créditos: From-Paris.com
Foto 11
thekill.raghunter.com
  1. Kiloshop – Saint Germain e Le Marais

Roupas vintage vendidas a kilo. Ou seja, pegue tudo o que gostar e ao final pese as peças na balança. Dependendo do peso, um preço. Comprei uma blusa e uma calça por um total de 10 euros. As roupas também são bem organizadas e limpas. Diferente da Kiliwatch, achei a Kiloshop mais diversa em termos dos estilos que se pode encontrar. Na Kiliwatch senti que gostei de quase tudo, enquanto na Kiloshop, precisei garimpar. O que também, claro, é divertido.

Foto 12
Créditos: lefigaro.fr
Foto 13
Créditos: Kiloshop-fr.com
  1. Gallerie Lafayette Haussmann

Bom, essa é uma dica batida, mas que não pode ficar de lado. A Gallerie Lafayette está na “must go list” de muita gente, mas nem todos sabem as marcas que estão por lá. Apesar de popular, no sentido de que todos conhecem, a visita vale a pena também por conta da arquitetura e da experiência “shopping com pop-up stores”. Lá você encontra Urban Outfitters, American Apparel, American Vintage, Topshop e um monte de outras marcas legais.

Paris |
Créditos: Wikimedia
Foto 15
Créditos: Paulette-magazine.com

Onde sair

  1. Le Comptoir General – Republique

@lecomptoirgeneral

Meu bar preferido, o Comptoir General fica escondido atrás de um portão bem sem-graça, na bairro Republique, as margens do canal Saint-Martin. Ao atravessar o portão e seguir o beco você tem a surpresa de encontrar um verdadeiro museu. A decoração é super criativa e imerge os visitantes em um clima meio african jungle urbana. A plaquinha na entrada já indica “The little Museum of Francafrique”. Na frente, um restaurante e atrás um bar com dois espaços diferentes e área externa. Perfeito para um drink pós trabalho ou bar com os amigos.

Foto 16
Créditos: @lecomptoirgeneral
Foto 17
Créditos: @lecomptoirgeneral
Foto 18
Créditos: @lecomptoirgeneral
  1. Rosa Bonheur – Buttes Chaumont

O parque Buttes Chaumont é um lugar perfeito para se visitar no verão. Ele fica no alto de uma montanha, no 19eme, com uma bela vista para a cidade e reúne pessoas fazendo esporte, piquenique, passeando com a família ou apenas pegando um sol – de roupa ou de calcinha e sutiã mesmo. Lá você encontra o bar Rosa Bonheur, que é bem legal e após as 19h vira meio baladinha, com música, pista de dança e bons drinks. Um bar em um lindo parque, o que pode ser mais perfeito do que isso? Ah! Aos domingos a night é gay. Homens e mulheres welcome e clima de paquera no ar.

Foto 19
Créditos: expressoparis.com
Processed with VSCO with hb1 preset
Processed with VSCO with hb1 preset

Foto 21

  1. Pavillon des Canaux – Canal de l’Ourq

Ainda fora do roteiro turistão, recomendo muito um passeio pelo Canal de l’Ourq.

Essa área tem apontado as tendências no quesito bares, cafés e arte. Ela é bastante visitada por um público mais jovem, por volta dos 30 anos, que curte arte, música e novidades culturais. Um passeio bacana é andar por ali até chegar ao bar/restaurante Pavillon des Canaux, que fica aberto o dia todo para café, almoço e janta. A decoração é incrível, com graffitis de múltiplas cores. Te garanto que relaxar na varandinha em frente ao canal vai ser bem melhor do que bater pena no Champs-Élysées.

Créditos: villaschweppes.com
Créditos: villaschweppes.com

Espero que gostem das dicas! Até a próxima! 😉

fernanda sigilao

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado Campos obrigatórios estão marcados como *