RAIZ NÃO SE NEGA

Olarr pessoas,

Demorei pra escrever sobre minha transição capilar por motivos de: é um assunto intimo, é um assunto que mexe comigo, e não sabia mt bem como aborda-lo.

Mas hj suada voltando do pilates pensei: vou contar uma historinha bem minha, bem particular, bem eu euzinha mesmo.

Não, aqui não veremos propaganda de produtos, o que vc tem que fazer pra melhorar seus cachos e como vc deve lidar com a transição. Pq claramente esse momento é mt particular. Cada mina vivencia a transição por um motivo, e lida com a transição de uma forma. Umas cortam, outras mantém, outras até voltam a alisar. Sem julgamentos, tá gente?

Eu no caso to cortando aos poucos, e to deixando ele ser! E muitas vezes mando ver num babyliss <3

Uma foto real e sem filtro pra entender a diferença

tran4

tran3

Me dá arrepios de pensar que eu serei a pessoa a dar conselhos nesse momento, já que eu NUM TO ENTENDENDO É NADA MERMO. E como já diz a palavra, é uma transição, eu não sei bem pra onde estou indo e aonde vou chegar. Aliso meus cabelos desde os 13 anos, e antes disso, minha memoria é de um fio de cabelo infantil e delicado.

pequena

A unica encacheada da classe , e claramente distraida com outra coisa.

pequena-4

Enfemmm, vamos a anedota:

Raíto de Sol é o inesquecível apelido carinhoso que tive a minha infância inteira. Ele foi dado pelo meu pai, que sempre achou uma graça meu cabelinho de ondas com aquela espécie de nuvem de fios doidos e pequenos ( tipo um algodão doce) que fica no final do dia depois de tanto brincar! Entendedores de cabelo encaracolado, entenderão.

 

Sempre fui alegre, sempre fui muito expressiva, dramática e fanfarrona.

calcinha

Fazendo terapia  frequentemente percebi que a minha real dificuldade com o cabelo, era ele ser indomável.

Não sei muito bem o porquê de ter começado a alisar. Na real é que eu não sentia praticidade nele, não sabia lidar na adolescência,  nem com isso e nem com nada né? Minha personalidade estava em construção, meus hormônios mais loucos do que nunca. Acho que fui pelo caminho mais fácil, o caminho do modismo. Tava lá no salão, todo mundo fazia, logo: isso deve ser bom. AI fui lá, alisando o cabelo. Mergulhei no mundo do cabelo bem lisão, da chapinha, da escova, da touca, da escova progressiva com formol, sem formol, natural, com quimica, sem quimica, UFA! eu entrei em todas. O tempo passou, e como estava bem parecida com todos que me cercavam ( pq quem tinha cachos alisava tb), construí um novo eu. A Julia que tem cabelo liso, horas!

O auge do meu liso com direito a vodka com redbull. A gente muda, neam?

adolescente

E nessa vida louca de glamourização do ~NÃO TENHO TEMPO PRA ISSO faltava era consciência de me olhar com cuidado no espelho, de repensar quem eu era, quem eu sou, quem já fui. É isso mesmo mores, se passaram 17 anos de Ruiva Lisa, e eu até acreditei por muito tempo que meu cabelo fosse liso de verdade  A preguiça e terror de deixar os cachos naturais e ter que passar por esse difícil momento, era na real uma preguiça de pensar em mim,

Sim, os produtos especiais pra cabelos crespos quase não eram mencionados nos meus anos 90, e o movimento feminino, feminista e empoderado neeeeeeem passava perto do que é agora. (INFELIZMENTE). Era um TEM QUE SER ASSIM. TEM QUE SER assado.

Estamos em um novo começo de era, é pra olhar pra dentro, pra entender o que tá fora. Compreender genuinamente nossos traços, jeito, ideais, aceitação da diferença em nós e nos outros. Quem eu sou? quais são as minhas questões, minha naturalidade e minha verdade?

Agora, no alto dos meus 30 anos de idade, da expressão do meu feminino, da minha confiança, cada vez tenho mais certeza que sou toda essa expressão aí: a bagunça, a rebeldia, o diferente, o caótico, o indomável. Sim, eu nasci com o cabelo que me representa. Eu sou tudo isso sim e muuito mais.

Afinal, Raiz não é pra ser negada, né mores?

Que enrole e que seja livre. Amém.

valente

 

3 comments on “RAIZ NÃO SE NEGA

  1. 07/12/2016 at 11:52 am

    Uhuuuulll!!!! Vc é incrível!!!
    É muito isso! As vezes ( e quase sempre) esquecemos de nos perceber e vamos levando…! É tão gostoso ficar bem consigo mesmo! Ter consciência plena do nosso corpo, emoções e sentimentos! <3

    To contigo! To adorando essa cabeleira toda e amei te ver pititica distraída hahahahahaha!

    • Julia Hirzman
      10/12/2016 at 6:40 pm

      Aninha sua linda! exatamente! uma vida inteira sendo quem vc não é! em busca de sei lá o que! CANSEI! Escolhi ser eu mesma.

  2. 15/12/2016 at 5:33 pm

    esse seu cachinho é a coisa mais linda! <3 queria o meu assim, e com muuuuuuuuuuito volume. hahaha

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado Campos obrigatórios estão marcados como *